Blog

Torneamento: como acertar na escolha do fluido de corte?

Torneamento: como acertar na escolha do fluido de corte?

Como não errar na escolha do fluido de corte é uma pergunta muito frequente quando o assunto é usinagem. 

Na verdade, são muitas as dúvidas: Cada operação exige um tipo de fluido? Como melhorar o acabamento das peças? Como melhorar o desempenho na usinagem de determinado material?

A escolha depende de muitos fatores. Aqui, você pode conferir um post onde detalhamos alguns parâmetros e, também, os tipos de fluidos disponíveis no mercado. 

Hoje, vamos nos concentrar em operações de torneamento. Muitas vezes realizado sob condições severas, o torneamento pode empregar diferentes tipos de refrigeração, o que também implica na escolha do fluido de corte.

 

Meios de refrigeração e lubricidade em operações de torneamento

  • Emulsão – mistura de água e óleo
  • Óleo – em algumas ocasiões o óleo substitui a emulsão
  • Ar comprimido – para melhor escoamento do cavaco (porém não eficaz na remoção de calor)
  • MQL – sistema com quantidade mínima de fluido de corte e ar comprimido

Os tipos mais utilizados geralmente são emulsão e óleo. Além da escolha do meio, é sempre preciso considerar os parâmetros de corte e a usinabilidade do material selecionado para torneamento. 

Uma prática que vem sendo adotada ultimamente é o sistema MQL, que usa emulsão ou somente óleo integral em mínima quantidade.

 

Usinabilidade dos materiais

A usinabilidade é a facilidade com que o material pode ser usinado sem prejuízo às suas propriedades mecânicas.

Ela está diretamente relacionada às grandezas que determinam a necessidade de lubrificação/refrigeração como: produtividade, acabamento superficial, tipo do cavaco, severidade da usinagem, vida útil da ferramenta e temperatura de corte.

A escolha correta do fluido de corte gera benefícios no processo (seja de torneamento ou qualquer outro) e, consequentemente, economia . 

 

Confira as dicas de fluidos de corte ideais para torneamento

A linha SOL ECO de fluidos de corte, desenvolvida pela Solutio, traz ótimas opções para quem busca aperfeiçoar operações de torneamento, melhorando a produtividade, a qualidade e o acabamento final das peças. 

O fluido SOL ECO 2095 (solúvel de base éster), por exemplo, é ideal para operações de média a alta severidade com materiais de difícil usinabilidade. Em metais não ferrosos, oferece proteção antioxidante e alta resistência à degradação bacteriana. Possui, em sua formulação, agente inibidor para metais amarelos e alumínio. 

 

Outra alternativa é o fluido sintético vegetal SOL ECO 3055, recomendado para operações de usinagem com metais ferrosos e não ferrosos. Sua formulação conta com agentes inibidores que evitam o aparecimento de manchas em alumínio e metais amarelos. 

Com alto poder de refrigeração e lubrificação, o SOL ECO 3055 é capaz de estender a vida útil das ferramentas de corte, gerando economia na produção.

Quero usar MQL como meio de refrigeração. E agora?

Quer adotar o método MQL – Mínima Quantidade de Lubrificação e tem dúvidas? Nós te ajudamos!

A MQL proporciona muitas vantagens operacionais: redução nos tempos de processos (avanços mais rápidos), economia de fluido de corte, aumento da vida útil dos equipamentos, redução de corrosão e assoreamento, entre outras. 

Como qualquer atividade produtiva, o método exige planejamento, afinal é preciso dispor de recursos para que tudo ocorra bem. Por isso, é preciso usar, além de equipamentos corretos, um fluido de corte adequado e manutenção criteriosa e constante. 

O fluido vegetal SOL ECO 3052 é indicado aplicações em máquinas-ferramenta que permitem a instalação de dispositivos MQL, técnica na qual a aplicação do fluido é precisa e ocorre diretamente na lâmina de corte. Também é indicado para processos de refrigeração convencionais.

Além disso, apresenta excelente proteção anticorrosiva e antibacteriana. Possui eficiência comprovada com diluição de até 60/40 de água na usinagem em rodas de alumínio.

Por que usar a linha SOL ECO?

Os produtos SOL ECO são ideais para operações gerais de usinagem (fresamento, rosqueamento, furação, torneamento, etc.)  em metais ferrosos e não ferrosos.

Todos os fluidos de corte da linha são isentos de óleo mineral, nitrito, cloro e metais pesados. “Além disso, a linha SOL ECO é muito menos agressiva à pele dos operadores e, também, ao meio ambiente”, explica W. Jansen, gerente de vendas da Solutio. 

Os fluidos também apresentam alta resistência à degradação bacteriana em função do uso de bactericidas de última geração.

Para te ajudar, listamos 5 motivos para você conhecer e testar os produtos SOL ECO em torneamento:

1# Os fluidos de corte SOL ECO são aliados do meio ambiente

2# Desempenho equiparado ao de fluidos mais tradicionais.  

3# Alta resistência à contaminação bacteriana 

4# Aplicável em todos os tipos de operações de usinagem

5# Não agressivo à derme dos operadores

Os fluidos integrais também são boas opções para uso em torneamento. A linha SOL CORT é dedicada a óleos de corte integrais para usinagem. Vale a pena conferir!

Esperamos ter te ajudado com a escolha do fluido adequado para operações de torneamento. Ainda tem dúvidas? Não tem problema!

Nossa equipe está à disposição para te ajudar! Clique aqui e fale com o nosso time de atendimento. 

 

Compartilhe esse post

Um comentário sobre “Torneamento: como acertar na escolha do fluido de corte?

Os comentários estão fechados.