Blog

Fluido de usinagem: como escolher o ideal?

 

A escolha do fluido de usinagem definitivamente não é uma tarefa fácil. No mercado estão disponíveis uma infinidade de produtos dedicados à lubrificação e refrigeração de processos de usinagem. 

Porém, tanta diversidade muitas vezes causa dúvida: “como escolher o fluido de corte ideal”? Para a surpresa de muitos, não existe uma resposta de bate-pronto, pois a escolha do fluido está relacionada a diversos fatores. 

O que considerar para a escolha do fluido de usinagem?

Antes de investir no fluido de usinagem, é importante analisar o processo e seus principais parâmetros, o tipo de material a ser usinado, acabamento desejado, tipo de equipamento, problemas decorrentes na manufatura, pontos de melhoria, entre outros. 

Uma análise bem detalhada, aliada à escolha de um fluido de usinagem adequado, sem dúvida, aumenta a produtividade e gera economia. 

Na conta da economia estão inclusos: menor desgaste de ferramental, menor consumo de fluido, melhor acabamento das peças (rebarbas e manchas), redução de mão de obra, não oxidação de máquinas e peças, conservação da solução e redução de tempo de parada do maquinário. 

Tipos de fluido de corte

Os fluidos de usinagem podem ser integrais ou solúveis. Os fluidos integrais não são emulsionáveis em água e podem variar quanto à viscosidade e níveis de aditivação. 

O grupo dos fluidos solúveis é composto por três grupos: 

 

  • Convencionais (solúveis minerais) – Formam emulsões leitosas quando misturados com água. Possuem boas propriedades lubrificantes e a desvantagem de serem menos refrigerantes. Deterioram-se mais rapidamente devido ao ataque de bactérias.
  • Semissintéticos – são compostos por óleo mineral ou vegetal. Possuem suficiente poder lubrificante para aplicações moderadas e pesadas. Suas boas propriedades de umectação permitem maiores velocidades e avanços, melhores propriedades de decantação e limpeza; e maior resistência ao ataque das bactérias do que os minerais.
  • Sintéticos – São constituídos de sais orgânicos e inorgânicos que formam soluções em água. Geralmente, são usados em operações de usinagem de alto desempenho, como a retificação. Possuem características de lubrificação, refrigeração e boa proteção anticorrosiva. As soluções são estáveis e pouco atacadas por bactérias.

 

Dicas de fluidos: sintéticos ou semissintéticos?

 

Separamos três dicas de fluidos muito utilizados  na indústria em operações de usinagem. 

 

#1 – Na linha dos sintéticos, a Solutio oferece o SOL ECO 3055 (sintético vegetal), fluido de usinagem solúvel de base vegetal com alto poder de refrigeração e lubrificação em operações com metais ferrosos e não ferrosos. Agentes inibidores evitam manchas em metais amarelos e alumínio. 

 

#2 – Sintético de base polimérica, o SOL ECO 3046 é indicado para usinagem geral (de metais ferrosos e não ferrosos) em tornos automáticos e retíficas. Agentes inibidores evitam manchas em metais amarelos e alumínio. 

 

#3 – Também indicado para  usinagem geral,  o fluido semissintético SOL 2050 EP/AC evita manchas e corrosões em metais amarelos. Pode ser utilizado tanto para lubrificação como para refrigeração. Além disso, é resistente à degradação bacteriana.

 

Não esqueça!

Antes de investir em qualquer fluido de usinagem, realize uma análise para a escolha do produto adequado. 

 

Determinados fatores vão influenciar, por isso a importância do trabalho consultivo desenvolvido pela Solutio. 

 

Produto ideal não é aquele a mais – que agrega valor desnecessário – e nem a menos, que acaba agredindo ferramentas e maquinários.

 

Em caso de dúvidas, entre em contato com a Solutio. Será um prazer te ajudar!

Compartilhe esse post