Blog

Atividade industrial segue em crescimento no primeiro trimestre

Apesar dos contratempos provocados pela chegada da segunda onda de Covid-19, na virada do mês de março para abril, a atividade industrial nacional segue elevada. 

A última edição da pesquisa Indicadores Industriais, divulgada em 11 de junho (realizada mensalmente) pela CNI – Confederação Nacional da Indústria aponta que mesmo com queda de 1,3% no faturamento em relação ao mês de março, as variáveis ligadas às atividades industriais cresceram.

A utilização da capacidade instalada – um importante índice industrial – chegou a 82,3% em abril. Os dados mostram a força, mesmo diante de tantas adversidades, de recuperação que a indústria nacional possui. 

No primeiro trimestre de 2021, o PIB cresceu 1,2% de acordo com dados divulgados no início de junho pelo IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. No período, surpreendentemente a indústria registrou alta de 0,7%. O segmento da indústria de transformação foi o único a fechar o trimestre em queda, -0,5%. 

Mercado de lubrificantes industriais 

Os altos preços e a dificuldade na obtenção de insumos – como óleos básicos e aditivos – foram os principais desafios para o mercado de lubrificantes industriais no primeiro trimestre. 

Apesar deste cenário, a Solutio cria alternativas e se posiciona para atender, sempre da melhor forma possível, o mercado de fluidos de corte para usinagem de metais. “Todo mundo – empresas de pequeno a grande porte – está com alta demanda. Muitas voltando a trabalhar com dois turnos, produzindo acima da capacidade. O país vai fazer uma virada interessante”, explica W. Jansen, gerente de vendas. 

O segmento de bens de capital, responsável pela fabricação de máquinas e equipamentos destinados para diversos setores (como o agrícola, construção civil e indústria de transformação), obteve receita líquida de R$ 16.609,45 milhões em abril, o que representa uma queda de 3,8% em relação à março, mas  72,2% acima de abril de 2020, mês que marcou o início da crise da pandemia da covid-19 no setor.

Outro importante mercado para o segmento de fluidos de corte para usinagem, o automotivo, cresceu 1% em maio (frente a abril), produzindo 192.843 unidades de veículos. Os dados são da Anfavea – Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores.

Na comparação com maio do ano passado (3,9 mil unidades), a produção cresceu cerca de 350%. Lembrando que em maio de 2020, a indústria estava paralisada por conta das medidas de isolamento social.

Na opinião de  Jansen, os ventos são favoráveis e a situação parece ser perene, porém é preciso atenção, já que a economia do Brasil é bastante suscetível. “Por isso é muito importante ter fornecedores nacionais capazes de atender a demanda”, conclui. 

Compartilhe esse post